A gente sabe que um dos ingredientes mais difíceis de abandonar em uma dieta é o chocolate. Afinal, quem não adora contar nem que seja com um pedacinho dessa delícia todos os dias? A boa notícia é que esse doce não é o vilão que se imagina: Nas proporções e formatos adequados, ele pode fazer muito bem à saúde.

O cacau, matéria-prima do chocolate, apresenta flavonoides, epicatequinas e ácido galático. Essas substâncias são benéficas às funções cardíacas, equilibram os níveis de colesterol e previnem o envelhecimento precoce e o câncer. Além disso, contam com vitaminas e minerais como magnésio, potássio e cobre.

Mas qual tipo de chocolate é o mais indicado? As versões amargas, com maior percentual de cacau (70% ou mais) são menos calóricas e contam com mais antioxidantes. Já o meio amargo pode ser uma opção para quem não gosta do sabor forte do primeiro – porém, os benefícios à saúde são menores.

Na lista dos chocolates que devem ser evitados por quem se preocupa com a saúde, em primeiro lugar está a versão branca do doce. Isso porque ela é feita com manteiga de cacau e possui grande quantidade de gordura na composição.

Já os chocolates trufados apresentam mais açúcares e gorduras por conta de outros ingredientes na receita, como as mousses, por exemplo. As versões ao leite, apesar do cacau, também possuem açúcar na composição.

Para manter o chocolate em uma dieta equilibrada, a porção recomendada é de 30 g (ou 160 calorias) por dia – mas esse valor depende das condições nutricionais de cada pessoa. Assim, é possível consumir essa delícia sem culpa e ainda trazer benefícios à saúde!