As motivações são variadas. Optar por uma dieta vegetariana pode ser ideologia, questões éticas, religiosas, intolerância ou preferência. É verdade que ela vai cortar alguns alimentos do cardápio que têm nutrientes importantes. Mas calma: A maioria tem uma maneira de compensar e essa troca pode trazer muitos benefícios para sua saúde.

Vegetariano ou vegano?

Quem começa a pensar na ideia logo se pergunta qual é a diferença entre os dois. É simples: O vegetariano não come carne de qualquer espécie animal e faz refeições principalmente à base de grãos, legumes, verduras, sementes, frutas e oleaginosas, ou seja, alimentos de origem vegetal. Já os que permitem derivados como ovos, leite, queijos e iogurtes se classificam como ovo-lacto-vegetarianos.

Por outro lado, os veganos têm uma alimentação restritamente de origem vegetal, além de não consumir qualquer outro produto de origem animal, como roupas de pele e cosméticos testados nos bichos.

Por que faz bem?

Os benefícios começam com a redução de gordura saturada na dieta, pois as carnes têm uma quantidade expressiva dessa vilã. Isso logo influencia o fluxo intestinal e fica ainda melhor porque a presença abundante de vegetais e frutas aumenta a quantidade de fibras no organismo. Um alívio para a digestão e para emagrecer.

Em compensação, quem abre mão de carne tem que ficar atento ao equilíbrio na ingestão de proteínas para evitar carências nutricionais. Afinal, as proteínas de origem animal são de alto valor biológico. Os vegetais também têm proteínas, mas de tipos diferentes. O ideal é consumir alimentos variados ricos em proteínas tais como quinoa, grão de bico, soja, lentilha, feijão, sementes e oleaginosas. E, mais ainda, não basear a dieta no consumo de carboidratos.

Muito além da proteína

Alimentos como os folhosos verdes escuros e as sementes também são aliados do vegetariano, para compensar o consumo de cálcio. Você pode contar com o valor nutricional dos brócolis, couve, taioba, mostarda e agrião, e as sementes como gergelim, girassol, abóbora e chia.

A adaptação

Os restaurantes estão cada vez mais acolhedores para os vegetarianos, servindo uma variedade saudável livre de origem animal. O problema é quando o alimento vem “sabotado”, com carne no caldo, por exemplo. Então para quem está em fase de adaptação, a dica é apostar em suplementos à base de proteínas vegetais – que extraem e isolam os aminoácidos de ervilhas, arroz, quinoa e amaranto, entre outros.

Parece um grande desafio, mas os benefícios e alternativas saborosas tornam a dieta vegetariana um caminho possível – e com tudo para proporcionar um corpo em pleno equilíbrio.