Já parou para pensar na alimentação como o que colocamos dentro de nós? Se fizermos escolhas quem fazem bem, com certeza isso terá reflexos no corpo e na alma. Dessa forma, as opções à mesa podem contribuir até para superar o estresse.

O estresse pode ser causador de vários sintomas, devido ao conjunto de desordens físicas ou psicológicas que causa. O organismo se defende com reações naturais como: aumento ou redução dos níveis de hormônios como o cortisol (relacionado com estado emocional, inflamações), a serotonina (sensação de bem-estar e prazer) e a dopamina.

Outras reações comuns ao estresse são: aumento da pressão sanguínea, contração muscular (espasmos), ganho ou perda de peso e outros. Nesse período, é ainda mais importante manter o fracionamento das refeições a cada 3 horas, evitando que o jejum prolongado cause mais irritabilidade e ações indesejáveis de alguns hormônios.

Além disso, a correria do dia a dia tem feito com que o prazer de se alimentar e o tempo que realizamos as refeições sejam escassos, o que resulta muitas vezes em escolhas ruins, mastigação acelerada e má digestão, gerando um desconforto que pode agravar o estresse.

Além dos exercícios físicos, que colaboram para redução dos níveis de cortisol e aumento da serotonina, uma alimentação rica em vitamina C, inhame, alface, aveia, carne bovina magra (com moderação), leite, feijão, cereais integrais, peito de peru, chocolate 70% cacau, frutas secas, salmão, suco verde e os chás com ação calmante preparados com melissa, maracujá, camomila, por exemplo, são ótimos aliados para melhorar essa condição.

Esses ingredientes e seus benefícios podem combater o estresse, no entanto, vale ressaltar que além da alimentação, outros hábitos de vida saudáveis podem colaborar para afastá-lo, como dormir bem e exercitar-se!