O que é o jejum intermitente? A restrição alimentar é total? Por até quantas horas?

Jejum intermitente é um novo método de emagrecimento que tem como objetivo mesclar períodos de jejum e períodos de alimentação livre com o objetivo de fazer o corpo utilizar a gordura estocada como fonte de energia priorizando a perda de massa gorda.
Nesse método são indicadas de 10 a 24 horas de jejum.

 

Qualquer pessoa está apta a fazer a dieta? Quem pode? Quem não pode?
Esse tipo de jejum era comum na época paleolítica onde o ser humano tinha que caçar para se alimentar não tendo acesso a alimentos o tempo todo como acontece atualmente.
Esse método é relativamente “novo” e não há uma indicação certa de quem pode fazer ou não este tipo de dieta. Esse método não é indicado para todas as pessoas, pois existem pessoas que não reagem bem a períodos longos de jejum ou até mesmo que fazem o uso de remédios para diabetes, por exemplo e podem apresentar um quadro de hipoglicemia por ficar muito tempo sem se alimentar, apresentando fraqueza, com risco de desmaios, queda de pressão arterial e etc.
Este tipo de dieta deve ter o acompanhamento de um médico e/ou nutricionista para avaliar real necessidade e melhor estratégia de horas de jejum e etc.

 

Já foi comprovado que essa dieta realmente emagrece, mas quais são os problemas de saúde que uma pessoa que faz esse tipo de restrição alimentar pode enfrentar?
Existem estudos científicos que demonstram benefícios e outros os riscos que este método pode trazer para a saúde humana, assim como qualquer dieta restritiva.
O princípio de que esse método ajuda no emagrecimento é que ao utilizar a gordura estocada no tecido adiposo como forma de energia, você tem a ação de um hormônio (glucagon) envolvido da lipólise (quebra de moléculas de gordura). Durante um jejum intermitente este hormônio atua por mais tempo no nosso organismo facilitando a perda de peso.
Acredita-se também que esse tipo de dieta pode causar alterações metabólicas maléficas para o organismo provocando desregulação de mecanismos cerebrais envolvidos no controle do apetite.
Em um estudo realizado em ratos, no grupo que fez a dieta intermitente foi observado que o cérebro destes animais se tornou mais permeável a entrada de grelina (hormônio que estimula a fome e é produzido à medida que o estomago se esvazia) e a produção de leptina (hormônio envolvido no apetite) estava reduzida neste mesmo grupo, mostrando que apesar de ajudar no emagrecimento essa dieta pode ter consequências não benéficas e precisa de mais estudos para melhor avaliação.

Qual é o prazo seguro para que uma pessoa possa adotar a dieta sem que haja riscos para a saúde?
Não existe prazo seguro, pois cada pessoa pode reagir de uma forma, por isso a importância do acompanhamento de um médico e nutricionista.

 

Esse tipo de restrição alimentar pode influenciar alguma doença mais grave? Tem algum exemplo?

Pessoas com doenças crônicas como diabetes e pressão arterial por exemplo, que fazem o uso de remédios para controle das doenças em questão não devem fazer esse tipo de dieta, pois geralmente estes medicamentos alteram o metabolismo podendo gerar um quadro de hipoglicemia.

 

O jejum pode ser acompanhado de exercício físico ou há um risco de sobrecarga para o organismo?

Depende da atividade física e da intensidade também. Novamente ressalto a importância do acompanhamento de um nutricionista/médico para escolha da melhor estratégia respeitando a individualidade de cada um.
Estratégias de emagrecimento para o controle de peso corporal são muito utilizadas em esportes de alto desempenho, onde o peso é fator determinantes para a competição. O jejum intermitente tem se destacado neste sentido, mas ainda são necessários mais estudos para melhor avaliação do tema. Estudo em ratos demostrou que ao realizarem exercício de endurance em jejum os animais tiveram um maior ganho de desempenho físico, devido a adaptações metabólicas que permitiram maior utilização de energia quando necessário.
Algumas pessoas têm ótimos resultados ao fazerem uma atividade intensa de curto prazo em jejum, pois são bem condicionadas, adaptada a uma alimentação pobre em carboidratos e orientado por nutricionista.

 
Qual a maneira mais correta de se alimentar para quem procurar reduzir ou adequar o peso?

O Jejum intermitente é uma estratégia interessante para processo de emagrecimento e tendo acompanhamento de nutricionista pode ser uma opção. De uma maneira geral uma alimentação equilibrada, rica em frutas, verduras e legumes, carboidrato de carga glicêmica baixa, proteínas magras e gordura boa e pobre em açúcar, farinhas refinadas e gorduras saturadas aliada a pratica de atividade física.