O consumo de proteínas de origem vegetal tem aumentado devido à crescente procura por um estilo de vida saudável, de cuidados com o meio ambiente e preservação dos animais. Outro motivo importante é a boa digestibilidade e o baixo fator alergênico se comparado a proteínas de origem animal.

Antigamente, a proteína vegetal mais conhecida e usada era a da soja. Com os estudos, percebeu-se que a soja, apesar de ter um bom perfil de aminoácidos, não era uma boa fonte alimentar por ser transgênica, ter alto potencial alergênico e ter influência hormonal.

As proteínas de arroz e ervilha vêm ganhando espaço em mercado de proteínas por terem bom perfil de aminoácidos, por favorecerem o ganho de massa magra se associadas a exercícios de força, por serem de origem vegetal e atenderem a demanda de vegetarianos e veganos, por serem hipoalergênicas e por não serem transgênicas.

As proteínas de ervilha e arroz se complementam devido ao perfil de aminoácidos. Por isso é tão comum ver suplementos proteicos com a associação das duas.

A proteína da ervilha ou pea protein apresenta boa qualidade de aminoácidos essenciais e não essenciais, excelente fonte de BCAA (aminoácidos de cadeia ramificada), fonte de ferro (não heme) e zinco. É deficiente no aminoácido metionina, mas possui altas quantidades de aminoácido lisina. Já a proteína de arroz ou rice protein possui boa qualidade de aminoácidos, altas quantidades metionina e deficiente em lisina.

O Journal of the International Society of Sports Nutrition publicou em 2013 um estudo que demonstrou que a suplementação de proteínas de arroz e ervilha associadas é tão eficiente quanto a suplementação da tradicional whey protein em indivíduos submetidos a treinamento de força, potência e hipertrofia.

São indicadas para qualquer pessoa que precisa aumentar a quantidade de proteína ingerida ou para qualquer atleta que deseja melhorar seu desempenho físico e resultados. Assim como o whey protein, tem rápida absorção e é uma ótima opção para a refeição pós-treino. O melhor momento para consumir a suplementação proteica é após a prática do exercício físico de força, momento em que há maior fluxo sanguíneo para o músculo, maior absorção de nutrientes e síntese proteica. Mas as proteínas vegetais também podem ser adicionadas como ingredientes de receitas, enriquecendo sucos e vitaminas visando adequar o aporte proteico diário.