Entre as 10+, a pergunta ficou na 7ª posição.

Essa informação pode passar despercebida por grande parte das pessoas, já para a indústria de alimentos e profissionais da saúde, é um item a ser analisado.

Por que os brasileiros pesquisaram tanto sobre glúten?

No ano de 2014 o interesse dos consumidores por produtos free from ganhou força, que são os alimentos sem algum nutriente/ingrediente. O glúten que é a principal proteína presente naturalmente no trigo, aveia, centeio, cevada e malte, foi o nutriente mais questionado em 2014, com relação aos seus benefícios e “ameaças” à saúde.

Os especialistas ainda não chegaram a um consenso sobre o nutriente, grande parte dos estudos mais críveis demonstram que não é necessário excluir glúten da dieta de pessoas que não possuem a doença celíaca, aquelas que não conseguem digerir a proteína. O próprio conselho regional de nutrição criou um parecer para as nutricionistas dizendo que a restrição ao glúten só deveria ser praticada em pacientes que comprovassem as restrições ao glúten através de avaliações médicas e clínicas. Fica o alerta a todos os envolvidos com o mercado de alimentos, o que alguns anos atrás parecia ser apenas mais uma “dieta da moda”, uma onda passageira, hoje demonstra uma expressividade bem maior, através de celebridades e até mesmo pessoas de redes de contatos que aderem à dieta “sem glúten”, e mencionam que se sentem bem e emagrecem. Temos um boca a boca que tem surtido efeito!

FONTE: Info Abril