Quem faz questão de saber mais sobre as propriedades nutricionais dos alimentos prediletos já deve ter encontrado por aí a palavra antioxidante. Mas será que você sabe exatamente o que ela quer dizer? Afinal, essa função presente em muitos ingredientes é de extrema importância.

Por definição, alimentos antioxidantes são “aqueles que possuem substâncias capazes de atrasar ou inibir a oxidação de um substrato oxidável”. Em outras palavras: Eles protegem as células saudáveis do corpo da ação oxidante dos radicais livres.

Os radicais livres, por sua vez, são moléculas que circulam no organismo. Ao entrar nas células, causam a oxidação ou até mesmo a morte dela. Essas lesões podem levar ao envelhecimento precoce e causar doenças como cardiopatias, aterosclerose, diabetes e câncer.

A notícia ruim é que nós produzimos radicais livres até quando respiramos ou praticamos atividades físicas. Portanto, o consumo dos alimentos antioxidantes é a principal maneira de se prevenir da atuação deles.

Entre os itens que fazem parte dessa lista, estão os alimentos de origem animal (leite integral e fígado de boi) as frutas (melão, melão, laranja, limão, tangerina, kiwi, manga, mamão, abacaxi, blueberry, morango, framboesa, cranberry, tomate) e os vegetais (brócolis, couve flor de bruxelas, couve flor, pimentão vermelho e verde, espinafre, batata, batata doce, moranga).

Além de incluir os itens acima no cardápio, a suplementação com concentrados antioxidantes são mais que bem-vindas nesse processo. Se você achar que esse é seu caso, não deixe de consultar um nutricionista! Esse profissional indicará os produtos e quantidades corretas de acordo com suas necessidades.